Cabanha Santa Edwiges

O Céu dos grandes cavalos

Clique nas imagens para ampliá-las

O cavalo está presente na história da humanidade desde os seus primórdios. Ele passou a ocupar um lugar de destaque na vida e no coração dos homens. Esta ligação afetiva do homem com o seu cavalo nem a modernidade conseguiu desfazer. Como podem, então, os homens que amam os cavalos, prestar uma homenagem para aquele cavalo que já se foi, e que tantas alegrias lhes deu durante a sua vida? Atahualpa Yupanqui manifesta seus sentimentos a este respeito de uma maneira que considero extraordinária na sua música “El Alazán”. Ele diz:

“Si como dicen algunos, hay cielo pa’l el buen caballo, por ahi andará mi flete, galopando, galopando.”

Que numa tradução livre tem mais ou menos este significado:

“Se como dizem alguns, existe céu para o bom cavalo, por lá estará meu pingo, galopando, galopando...”

Tomando emprestada a idéia deste grande compositor, e munidos da mesma estima que tinha por seu alazão, pedimos a Noé Cesar, com sua arte e sensibilidade, que representasse J A Cartucho, Muticura Sin Suerte e Tañido Redoblado no Céu dos Grandes Cavalos. É desta forma sincera e respeitosa que a Cabanha Santa Edwiges presta homenagem a estes incomparáveis garanhões que tantas alegrias nos deram.

J A Cartucho - por Noé Cezar Tãnido Redoblado - por Noé Cezar Tãnido Redoblado - por Noé Cezar

Copyright 2011 Cabanha Santa Edwiges - Todos os direitos reservados

Copyright 2011 Cabanha Santa Edwiges - Todos os direitos reservados